Patrocinadores:
Apoio:
Apoio:
Patrocinadores:
Publicada em: 7 de março de 2017

Freio de Ouro 2017: Saiba as novas regras

Por Patrícia Haddad

Faltando um mês para o início do Bocal de Ouro o atual presidente da ABCCC, Eduardo Suñe, contou as novidades para a temporada do Freio de Ouro 2017. O maior evento de seleção da raça crioula está cada vez mais focado em eleger os melhores.

A partir do Bocal, em todas as classificatórias haverá o quarto premiado e um animal será eleito o melhor na categoria funcional, tanto para os machos quanto para as fêmeas. “O Freio de Ouro hoje é uma das provas de seleção mais importantes do mundo. Tenho certeza de que as inovações feitas pela nossa diretoria, irão atender ao criador e o cavalo mais funcional”, afirma Eduardo Suñe.

Mas não é tão fácil ganhar o tão almejado título de Freio de Ouro. Segundo o presidente, após um estudo realizado em 2016 que mudou as classificatórias para a região Norte e Sul, foi adotado o mesmo esquema para este ano. Desta vez as etapas do Paraná e Santa Catarina foram unificadas e será em Chapecó.

“Optamos por essa mudança a nível experimental. Se ficar melhor este ano com mais participação e mais qualidade, entendemos que poderá permanecer. A ideia é fazer um evento com mais qualidade para os participantes. Não haverá uma redução de animais, apenas optamos por um evento com maior qualidade”, explica Suñe.

Para participar das provas é necessário que o associado, criador ou usuário que estiver diretamente em contato com os núcleos, se inscreva previamente com a ABCCC. O animal tem que estar bem preparado, tanto morfologicamente quanto fisicamente, para suportar todas as etapas da prova e ter sucesso.

Mais uma novidade para a temporada 2017 é uma comissão formada para tratar apenas de assuntos do bem-estar animal. Um projeto piloto foi realizado em uma das credenciadoras em Araranguá, em que para o cavalo ser admitido teve que passar em algumas regras. O sistema será implementado a partir do Bocal de Ouro e valerá para todas as classificatórias, seguindo o modelo como acontece nas Olimpíadas e nas principais provas de salto. Ou seja, além da admissão que já vinha sido feita com as medidas do animal para o julgamento morfológico, será observado também passo, trote e passo novamente.

“Isso é novo, ainda não havia acontecido. Temos uma comissão veterinária da FEI- Federação Equestre Internacional, que avaliará se não tem nenhum tipo de problema, contra-indicação ou dor que possa prejudicar o animal durante a prova. Embora a prova seja altamente seletiva, temos a preocupação de que se respeite acima de tudo o animal”, analisou o presidente.

O atual presidente da ABCCC está ansioso para o início do Freio de Ouro 2017. “É uma ansiedade grande para começar as classificatórias, tendo em vista que é o palco da raça crioula, talvez hoje seja a maior prova equestre do Brasil onde vários animais participam para entrar. Fico ansioso para que ocorra tudo as mil maravilhas e que definitivamente quem ganhe seja o cavalo crioulo. Estamos trabalhando fortemente para que o Freio seja um verdadeiro espetáculo”, vibra Eduardo Suñe.