Patrocinadores:
Apoio:
Apoio:
Patrocinadores:
Publicada em: 27 de agosto de 2017

Capanegra Quinta Sinfonia e PN Cambiasso vencem o Freio de Ouro 2017

O dia mais esperado do ano para a comunidade crioulista chegou. A finalíssima da competição mais importante da raça crioula revelou neste domingo (27) os grandes vencedores do Freio de Ouro 2017.

Capanegra Quinta Sinfonia (Foto: Felipe Ulbrich/Divulgação)

Capanegra Quinta Sinfonia liderou todas as provas do dia e conquistou o Freio de Ouro deste ano na categoria fêmeas com 22.033 pontos. Entre os machos PN Cambiasso foi o grande campeão alcançando nota de 20.812.

PN Cambiasso (Foto: Felipe Ulbrich/Divulgação)

Depois de nove classificatórias, sendo sete em território nacional e duas no exterior, o Espaço do Cavalo Crioulo no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), foi palco da decisão do campeonato. Em pista, os ginetes deram o máximo na condução dos cavalos enquanto a torcida lotava a arquibancada acompanhando tudo com olhos bem atentos e vibrando a cada movimento bem executado pelos animais.

Quem acompanhava a disputa pela tela do Canal Rural na TV ou na internet também participou ativamente da competição enviando fotos, comentários e declarando para qual conjunto estava torcendo.

Emocionante do começo ao fim, a abertura da competição contou com uma solenidade belíssima dedicada a história dos 85 anos da Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC). A cerimônia mostrou a trajetória do cavalo e de seus representantes e teve, ainda, uma homenagem muito especial. O presidente do Canal Rural, Julio Cargnino, e da ABCCC, Eduardo Moglia Suñe, entregaram ao ginete símbolo da raça crioula e primeiro ganhador do Freio de Ouro, Vilson Charlat de Souza, o troféu “Alexandre Crespo – Que Momento”.

A competição

Seguindo para as provas, a disputa foi muito equilibrada durante as etapas de Mangueira e Bayard/Sarmento em ambas categorias. Os animais que ocupavam as primeiras posições mantiveram-se no topo com ótimo desempenho no aparte, na pechada e na fase mais técnica da competição.

O momento mais inesperado do dia aconteceu quando o garanhão Esteio JB Palermo, que vinha liderando a disputa entre os machos desde a última prova de sábado (26), foi desclassificado.

Na última etapa do campeonato, Capanegra Quinta Sinfonia continuou demonstrando ótimo desempenho nas paleteadas sendo conduzida pelas mãos do ginete Eduardo Quadros e finalizou a competição com média de 22.033. De propriedade das Cabanhas Capanegra e Gameleira, a égua ganhou a torcida e a vitória foi muito comemorada por todos.

Jeitosa do Mano a Mano e Carlota de São Pedro formaram dupla na Prova de Campo e fizeram uma ótima prova, sendo ovacionadas pelo público da arquibancada. Sendo assim, as éguas alcançaram, 20.822 e 20.547 pontos, conquistaando o Freio de Prata e o Freio de Alpaca, respectivamente. O Freio de Bronze ficou com BT Basteira (20.724 pontos), que figurou nos primeiros lugares do pódio durante todo o dia.

Entre os machos, PN Cambiasso assumiu a ponta da competição com média de 20.812 montado pelo ginete Adriano Comunelo e surpreendeu a todos. O garanhão subiu da quarta para a primeira colocação na paleteada enchendo a Cabanha Positivo de orgulho.

O Freio de Prata ficou com La Castellana Esplendor (20.804), enquanto Peñarol da Boa Vista (20.509 pontos) e Farandola da Mangueira Velha (20.460 pontos) levaram o Freio de Bronze e o Freio de Alpaca, respectivamente, entre os machos.

Confira abaixo os grandes vencedores do Freio de Ouro 2017:

FÊMEAS
Class – Box – Nome – Parcial
1º – 31 – CAPANEGRA QUINTA SINFONIA – 22.033
2º – 9 – JEITOSA DO MANO A MANO – 20.822
3º – 40 – BT BASTEIRA – 20.724
4º – 36 – CARLOTA DE SÃO PEDRO – 20.547

MACHOS
Class – Box – Nome – Parcial
1º – 90 – PN CAMBIASSO – 20.812
2º – 89 – LA CASTELLANA ESPLENDOR – 20.804
3º – 87 – PEÑAROL DA BOA VISTA – 20.509
4º – 91 – FARANDOLA DA MANGUEIRA VELHA – 20.460

Os jurados da final do Freio de Ouro 2017 foram André Luiz Narciso Rosa, Mário Móglia Suñe e João Francisco Silveira na categoria fêmeas, enquanto Luis Rodolfo Machado, Carlos Loureiro de Souza e Luiz Alberto Martins Bastos avaliaram os machos.

Por Yahell Bonfim | Canal Rural