Publicada em: 5 de abril de 2019

Quase 90 cavalos crioulos competem no Bocal de Ouro 2019

Começou o Bocal de Ouro 2019

Por Bruna Essig, de Esteio (RS)

Começaram as classificatórias brasileiras para o Freio de Ouro 2019, a maior competição da raça crioula. O Bocal de Ouro é a etapa destinada a animais que não participaram em edições anteriores da competição. Entraram na disputa, em Esteio (RS), 43 fêmeas e 46 machos. Apenas os 16 melhores de cada categoria vão à final no domingo, dia 7.

Os competidores enfrentaram chuva fina e pista com muita lama nesta sexta-feira, dia 5. “Não se faz uma prova com a qualidade que esperávamos por estar molhada, mas acho que tem provas com médias altíssimas. Muitas éguas boas. Os concorrentes estão dando show”, afirma o jurado Luiz Bastos Neto.

Quem acompanha as provas da raça crioula fica atento a essa etapa, que costuma apresentar candidatos à sensação do Freio de Ouro. JA Libertador, único bicampeão da história da prova, é o maior exemplo. Em 2015, ano de seu primeiro título, ele havia vencido o Bocal de Ouro.

“Essa prova tem um desenho técnico maior, porque quem consegue chegar ao pódio marca seu nome na história da raça, como ginete, cabanha e cavalo”, defende Rodrigo Teixeira, técnico da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).

O ginete Guto Freire coleciona bons resultados na classificatória dos inéditos. Ele é o atual campeão, com Assuero do Rancho Aruanã. “Tem que estar em conjunto muito grande para fazer uma prova boa. Lógico que a gente não pode forçar demais. Para ter uma carreira pela frente, temos que tentar balancear”, conta.

Reginaldo Tavares, da Cabanha do Diamante, é um dos criadores com grande expectativa para a prova. “É um bicho inédito, por isso que tem aquela esperança sempre de sair daqui vitorioso”, diz.

A decisão do Bocal de Ouro será transmitida ao vivo pelo Canal Rural. Não se esqueça: domingo, dia 7, a partir das 8h25.